08 agosto, 2011

Homenagem no mês do Padre (04/08), para nosso eterno padre, Obrigado Padre Léo.

O Senhor não deixa que passemos por provações maiores do que podemos suportá-las.
Para isso ele nos capacita, nos dá habilidade, força e coragem para enfrentarmos as adversidades dessa vida,
permitindo assim suportar os maiores sofrimentos.

Padre Leo - O Padre que conquistou o Brasil com seu jeito simples de comunicar

"Eu cuidei por quatro anos de Dom Colto, bispo de Taubaté. Uma semana por mês, das 05h00 da manhã, às 09h30 da noite. Ele era paralisado de um lado. Então, você tinha que dar banho, levá-lo ao banheiro, secá-lo, colocar talco, porque assava muito. Para mim, a melhor aula de teologia era daquela semana.
A docilidade de um bispo da Igreja, aceitar levá-lo ao banheiro. Pensa bem a humilhação! Com dificuldade falava: ”terminei”, para você limpá-lo, como uma mãe faz com uma criança. De ficar nu e você secando e passando talco, nas partes genitais. E nunca ouvi uma palavra de murmúrio. Cada dia o corpo de Dom Colto estava pior, mas o seu coração estava melhor. Estava cada dia mais santo. Cada dia seu corpo estragado e sua alma linda!"
(trecho da pregação: “Experienciar milagres”).

Essa experiência do padre Léo, no período de seminário, que nos parece tão casual, teve estreita ligação com a sua vida espiritual. Deus fortaleceu a sua alma para atravessar as noites escuras, pelas quais passou, anos depois, na luta contra o câncer.

"O câncer tira tudo da gente, tira a nossa dignidade. Você perde tudo! Você é um trapo em cima de uma cama. Sujo! E eu me sujei muitas vezes de xixi e cocô. Passei vergonha quando minhas irmãs me limpavam, mais vergonha ainda, quando enfermeiras trocavam a minha frauda.
Você perde o alto domínio, mas sobra a fé. E essa ninguém tira. Quem tem fé perde tudo, mas não perde nada!".
( trecho da pregação: “Buscai as coisas do alto”)

Pela nossa fragilidade humana passamos por enfermidades, chegando a tirar a nossa esperança. Porém, a Palavra do Senhor vai nos dizer que ainda que nosso físico vai se definhando, se estamos em Deus, a nossa alma vai se renovando a cada dia. O sofrimento aqui é momentâneo, tudo passa, o essencial é o que levamos para a eternidade, porque Deus nos leva a uma vida plena.   (Márcia A Bezerra)

A VIDA DE PADRE LÉO:

Tarcísio Gonçalves Pereira – mais conhecido como padre Léo –, nasceu no dia 9 de outubro de 1961, em Delfim Moreira (MG).

Filho de Joaquim Mendes e Maria Nazaré. Veio de uma família simples e, ainda criança, manifestou o desejo de ser sacerdote. Entrou para a Renovação Carismática Católica (RCC) em 1973. Durante o processo formativo em sua vida tornou-se

músico, cantor, compositor, apresentador, pregador e escritor. Aos 12 de outubro de 1995, fundou a Comunidade Bethânia, que, hoje, conta com 05 casas espalhadas pelo Brasil, cuja missão é restaurar jovens dependentes químicos, portadores de HIV e marginalizados em geral.

Essa missão começou quando padre Léo, atendendo jovens que, sendo usuários de drogas, o procuravam nas dependências do Colégio São Luiz na cidade de Brusque/SC, fizeram-no pensar numa forma de ajudá-los de uma forma direta e concreta. Do atendimento a esses jovens, ante o desejo de ajudá-los de forma mais completa e específica, nasceu o carisma de Bethânia. Irreverente e profundo em suas pregações, atraía milhares de pessoas em todos os encontros que promovia. Grande conhecedor da Palavra de Deus, com facilidade e maestria conduzia a quem o escutava a um íntimo e profundo encontro com Deus.

Escreveu vários livros pela Editora Canção Nova, bem como pela Editora Loyola. Seu livro, lançado no ‘Hosana Brasil 2006’ na Comunidade Canção Nova, intitula-se “Buscai as Coisas do Alto”, escrito durante o tratamento, período em que se submetia a sessões de radioterapia e quimioterapia, revela a profundidade de quem soube – mesmo na dor – experimentar o toque e o carinho de Deus. Sempre com bom humor e entusiasmo pela vida, Pe. Léo começou o tratamento contra o câncer em abril de 2006 e, mesmo debilitado, esteve presente no ‘Hosana Brasil 2006’ em dezembro, visivelmente abatido pelo longo tratamento, fez uma surpreendente pregação marcando profundamente a vida de todos os presentes.
Incansável evangelizador fez de sua vida uma missão em prol daqueles que Deus colocou em seu caminho. Seus inúmeros filhos e filhas, espalhados pelo Brasil e pelo mundo, puderam, através de seu testemunho e vida, aprender que vale a pena viver uma vida para Deus.

Padre Léo diz de si mesmo:

“Sou um sujeito que desde criança quis ser padre; e muito pobre, tentei ir para o seminário, mas não fui aceito. Então fui trabalhar até conseguir ter roupas suficientes, fazer meu enxoval. Fui para o seminário com 21 anos. Tinha namorada, fui noivo, e descobri a Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus, que é o que eu tento viver: Quero ser um homem do Coração de Jesus. Vivo no meio de jovens drogados, prostituídos, aidéticos. Tento ser um deles e eles me ensinam muito.”